Oficina sobre proteção florestal em terras indígenas no Acre

“10ª Oficina regional: Proteção florestal em Terras Indígenas do Acre” é realizada no Centro Yorenka Ãtame, em Marechal Taumaturgo

Entre os dias 26 e 28 de julho, aconteceu no Centro Yorenka Ãtame do povo Ashaninka, na cidade de Marechal Taumaturgo, a “10ª Oficina regional: Proteção florestal em Terras Indígenas do Acre”, realizada pela Secretaria de Meio Ambiente do Acre, em parceria com a Comissão Pró-Índio do Acre, Fundação Nacional do Índio e  Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais

A oficina do projeto “Proteção Florestal de Terras Indígenas” reuniu lideranças indígenas dos povos Jaminawa Arara, Apolima Arara, Kuntanawa e Kaxinawa, representantes de cinco Terras Indígenas da região do Juruá. O objetivo foi a capacitação e o empoderamento dos indígenas da região do Juruá para a proteção do território com foco na gestão territorial e ambiental das terras indígenas, utilizando-se de ferramentas tecnológicas, como aparelhos de GPS.

Durante a oficina foram realizadas atividades de mapeamento participativo, onde os participantes de cada terra Indígena trabalharam no mapa de sua terra, identificando as atuais pressões e ameaças que esses povos de fronteira vêm sofrendo e quais as ações as comunidades têm realizado em relação à vigilância de suas terras. Também foram atualizadas as fichas de monitoramento, onde é colocado o que é preciso monitorar e onde serão realizadas as atividades.

Também foram apresentados conteúdos sobre legislação indigenista, Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho, entre outros assuntos relacionados à região do Juruá.

No último dia, foi realizada uma apresentação técnica da ferramenta GPS  e, em seguida, uma atividade prática com os participantes.  Ao final, a Secretaria de Meio Ambiente do Acre- SEMA realizou a entrega dos equipamentos (GPS e Câmeras fotográficas), que auxiliarão as atividades de vigilância realizada pelos indígenas. O projeto, apoiado pelo Fundo Amazônia, possibilitará a aquisição de materiais, como barcos, câmeras e aparelhos de GPS pelas comunidades

A Comissão Pró-Índio do Acre fortalecendo as estratégias de gestão ambiental e proteção territorial dos povos indígenas no Acre. Também vem realizando atividades de monitoramento e vigilância nas Terras Indígenas com utilização de geotecnologias e fortalecendo a Gestão Socioambiental dos Povos Indígenas através de projetos como o “Monitoramento e vigilância das ameaças na Terra Indígena Mamoadate com utilização de geotecnologias”, no âmbito do Programa Pequenos Projetos de Gestão Ambiental e Territorial Indígena (PPP-GATI). Essas ações também são apoiadas pela Rainforest Foundation, através do Projeto “Fortalecendo a Gestão Socioambiental para a Conservação da Biodiversidade e Direitos dos Povos Indígenas garantidos na Fronteira Acre – Peru”.