Abril no Acre Indígena

FOTO_AbrilAcreIndigena_2014_02Desde 2009, a CPI-Acre realiza, em parceria com a Organização dos Professores Indígenas do Acre (OPIAC) e a Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (AMAAIAC), o Abril no Acre Indígena, iniciativa que acontece anualmente  durante o mês de abril, com o objetivo de promover as lutas e reivindicações indígenas no contexto atual, e de valorizar a produção e o conhecimento dos autores e pensadores indígenas no Acre.
A iniciativa, que já se tornou conhecida no calendário cultural da cidade, pretende ampliar o horizonte das relações interculturais, ocupando diversos espaços da cidade de Rio Branco, capital do Acre, com exposições, apresentações, palestras e debates sobre a questão indígena.
A ideia é promover espaços para a exposição de obras e intervenções artísticas em praças do centro da cidade. Nas exposições, estão esculturas feitas com o  reaproveitamento de madeira e que apresentam personagens presentes nas histórias dos povos indígenas, além de painéis criados a partir de desenhos e pinturas, produzidas durantes os cursos de formação realizados pela CPI-Acre, e empregadas em materiais didáticos e paradidáticos.
Durante o evento, são realizadas rodas de conversa, mesas-redondas e palestras com lideranças indígenas abordando temas como direitos indígenas, linguagens e educação intercultural e sustentabilidade das terras indígenas. Em 2011, em uma parceria com a Universidade Federal do Acre, os Agentes Agroflorestais Indígenas, formados pela CPI-Acre,  foram convidados a apresentar os seus conhecimentos para os alunos dos cursos de Engenharia Florestal, Agronomia e  Antropologia.
Obras da literatura indígena acreana são disponibilizadas para os visitantes, assim como vídeos resultantes do trabalho de cineastas indígenas. No Abril no Acre Indígena, os  indígenas e a equipe da CPI-Acre também produzem textos para a divulgação na coluna Papo de índio, atualmente publicada no jornal Página 20. Em 2015, quatro mulheres dos povos Ashaninka, Shawãdawa, Manxineru e Huni Kuĩ produziram uma série de reportagens sobre suas experiências e pesquisas e sobre aspirações do universo feminino indígena.
O Abril no Acre Indígena quer proporcionar a reflexão e a difusão de experiências estéticas e de diálogo e produção intercultural envolvendo conhecimentos e culturas no contexto de práticas educativas e socioambientais desenvolvidas por organizações indígenas e indigenistas no Acre. Dessa forma, contribuiu para a formação de um Acre indígena vivo, diverso e criativo.

Clique *aqui* para conferir a programação do Acre Indígena no Acre deste ano